Apenas um corpo de luz

Senhor, no silêncio desta prece, venho pedir te a paz, a sabedoria , e a força.
Quero sempre olhar o mundo, com olhos cheio de amor. Quero ser paciente, compreensivo e prudente. Quero ver além das aparências, teus filhos, como vós mesmo os vê, e assim Senhor ver somente o bem, em cada um deles. Fecha meus ouvidos a todas as calúnias. Guarda minha língua de todas as maldades, para que só de bênçãos se encha meu coração. Que eu seja tão bom e alegre, que todos aqueles que se aproximarem de mim, sintam a Tua Presença. Reveste-me de tua bondade Senhor, para que no decorrer deste dia, eu te revele a todos. Que assim seja! AMÉM.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

**O SER ENCARNADO E SEUS DESAFIOS**



RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE



Muitos são os caminhos que nos leva ao Pai e ao filho de Luz Jesus. Esses caminhos são as portas das religiões existente em todo o planeta terra, que através das orações, se liga ao Criador, portas estas que estimulam aos anseios da pratica do Bem, do Amor e da Fraternidade entre seres do mesmo Pai. Muitos que militam ao Sacerdócio pensam que estão revestidos de grandes poderes Divinos. Pura ilusão, esquecem que estão num planeta terra, com os mesmos desafios de cada ser vivente nesse planeta. Sabemos que o maior templo existente no mundo, se encontra dentro de cada ser. E muitos querem aplicar o poder ao seu bel prazer, e se esquecem que, todos estão em provas, e que cada ato praticado será cobrado e pesado na balança do Universo, que irá exigir de cada ser sobre sua consciência as praticas de suas enumeras atividades durante o desafio da vida. Muitos querem mudar as Leis do mundo mundano, que rege o material e o Astral, ao seu bel prazer, mais todos que tentam fazer as mudanças se esbarra nos senhores da Lei de força e poder, que rege o mundo mundano. Nosso Pai maior, nos permite fazer tudo, porque o seu amor sobre todas as suas criatura é imensurável, portanto nos vê como Bebes em suas travessuras, brincado de praticar poder. Poder esse que são pura ilusão, porque saímos de um mundo perfeito com Leis imutáveis, para um mundo ilusório chamado matéria. Mas de grande importância para aprender e adquirir conhecimentos para o enriquecimento da Ama, que carrega todos os atributos perfeito do ser. No mundo de ilusão tem três atributos perfeitos para enriquecer a Alma, 1º Amar ao Pai de toda criação desse planeta terra e do Universo, 2º Amar a teu próximo como a se mesmo, 3º Cuidar do seu livre, pois com toda liberdade conferida ao ser, poderás com ela virar um Anjo ou um Demônio. Muitos são aqueles que se deixam levar com os prazeres excessivo, e acabam contraindo grandes dores e sofrimentos para se mesmos. É uma pena que o Ser para conhecer tem que se queimar, para aprender, só não sabem que a dor que tem que passar é quase como insuportável e muito dolorosa.



Mas pela misericórdia Divina, ainda bem que existe os espiritos mais esclarecidos que tiveram que passar por inúmeros desafios para hoje nos auxiliar nos caminhos da vida que se apresenta diante nos, nesse momento.



Os seres terrenos, esquecem que nesse"Planeta Terra" é constituído de inúmeras portas que da em outras "Dimensões", mundos, sobre um mundo existente. os atos da vida de cada ser é constitíido pelo peso dos seus atos praticados. Pois o ser pode subir as alturas ou decer em dimensões profundas, só vai depender dele mesmo, nas escolhas da vida.



Apenas um Corpo de Luz

Aqueles que gostam de meu trabalho, e querem participar do meu blog, é só sessar o link; http://wwwapenasumcorpodeluz.blogspot.com.br/ .....E fazer parte dessa Família.



segunda-feira, 15 de agosto de 2011

**ENSINAMENTOS IMPORTANTE, VINDO DO ALEM**




Corpo de Luz - Erick


                                    

O que Demos é o que Recebemos dessa Vida 

terrena!

Nada mais certo, não colhemos mais que aquilo que demos e que má semeadura fizemos, nos, os terrenos! A maioria dos habitantes da terra não colhe mais que agudos espinhos. Ler os Jornais, assistir os noticiários da TV entristece, porque não passa um só dia que não se leia, ou existe a descrição de horrorosos assassinatos, roubos, trafego de drogas, famílias se matando, corrupção em todas as classes, naufrágios, choque de trens, pontes que afundam, terremotos devastadores, irrupção vulcânicas que arrasam cidades, furacões e tornados destruindo tudo ao passar, violentos incêndios que destrói casas e prédios, fazendo vitimas com grave ferimentos e mortes, alem das impedi mias e doenças diversas que enche os hospitais públicos em vários Estados sepultando centenas de pessoas por deficiência nos serviços prestados, etc, etc.
É tristíssimo pensar no modo que se vive na terra, porque os que não são vitimas de espantosa hecatombes, os que parecem viver com relativa tranquilidade, se alguém penetra em seus lares, se levanta uma ponta do véu que cobre sua vida intima, que tristes quadros se contempla! Famílias compostas de inimigos irreconciliáveis ensaiam amizades e tolerância mutua; procuram dominar suas inexplicáveis antipatias, sua misteriosas aversões, mas nem sempre conseguem; por qualquer coisa, uma chispa do ódio mal apagado pega fogo e as rinchas, as invejas, as diferença de temperamentos, se incendeiam como um monte de palha e se desenrolam essas tragédias nas quais se reproduz a eterna história de Caim e Abel. E, se não se chega a tão triste final, vive-se morrendo sob a tirania de um pai deposta, de uma mãe tirana, de irmão egoísta, sendo que os abusos de uns e de outros é moeda corrente no grande mercado da vida.

E isso é viver? Não! Isso é pagar olho por olho e dente por dente, é beber continuamente o fel e o vinagre que, segundo a tradição,

E isso é viver? Não! Isso é pagar olho por olho e dente por dente, é beber continuamente o fel e o vinagre que, segundo a tradição, deram a Jesus Cristo; é receber feridas sobre feridas, causadas por implacáveis desenganos; contínuos,
"O homem e a mulher" sofrem tão variados e multiplicados tormentos que, se não tivesse em sua vida um passado, e não esperasse um amanhã, teria que renegar haver nascido; mas afortunadamente, na noite do tempo, sem poder precisar a data fixa, o sentiu brotar de seu pensamento a chama intangível do desejo, contemplou seu corpo nu e experimentou a imperiosa necessidade de cobrir sua nudez; viu-se forte e empregou sua fortaleza em adquirir o indispensável para satisfazer as mais prementes necessidades da vida, e foi conquistando palmo a palmo, o terreno suficiente para levantar suas casas e edifícios e rodear-se de submissos servidores, de famílias que malsatisfazeram sua sede de reprodução e, com o transcurso dos séculos, os patriarcas centenários deixaram a terra e voltaram novamente a povoa-la, ja não contentando em viver as asperezas do bosque e a fragrância das montanhas; como eu disse anteriormente levantaram enormes cidades, e pediram aos magos e adivinhos os segredos de sua ciência para destruir as trevas da noite.
"Compreenderam que a divisa da Natureza, como disse um de nossos pensador, é trabalho ou morre".
"Deixando de trabalhar, morrereis moral, intelectual e fisicamente, e a morte sempre foi repelida por homens e mulheres que souberam ter lucidez em seu entendimento; somente se suicidam os desequilibrados; a completa destruição só a procuram os que não compreendem o imenso valor da vida. 
Todos os atos, seja ele significante é punível no mundo Astral

"Como o vicio é tão de sedente, o homem e a mulher desce por ele, sem poder deter-se, conhecendo as vezes todo o erro que encerram as quedas, ou seja, as residencias do delito, e o Espirito até chega a acostumar-se a perversidade, deixando-se arrastar pelo que chama fatalidade, que outro coisa não é que o costume de mal proceder. Todo o vicio, adquirido é um ébrio insaciável, muito mais que vosso costumes e vossa mal chadas leis, torna pequena a órbita na qual giram vossos criminosos, todas as portas se fecham e só se lhes abrem os braços os antros do vicio, da degradação mais humilhante".
"Sempre leio em teus pensamentos esta eterna pergunta: Por que Deus, que tudo pode, não detem o homem e a mulher na beira do abismo e lhe diz: "Levanta-te, assim quero...", e eu respondo: Qual o mérito que teria então a regeneração do homem e da mulher? Nenhum, absolutamente nenhum; suas lutas não teriam a menor importancia, porque não lhes teriam servido de escarnamento; tanto valor teria ser um santo ou um réprobo se, no final da jornada, Deus lhe dissesse: "Entra no meu reino porque assim quer a minha vontade". O homem e as mulheres foram criados para escalar todas as alturas, para afrontar todos os perigos, para descobrir todos os mistérios que os mundos guardam, para conhecer todas as propriedades da matéria, para fazer uso de todas as forças que dispõe a Natureza, para ser sabio, para ser bom, E, para chegar a posuir virtude e a ciência, é necessario que o homeme a mulher, saiba por si, a mesmos o que doem as feridas do corpo e as feridas da "ALMA ", e a humilhação que a ignorancia leva em si, a crueldade, a persistencia no crime. Sem a dor da queda não se pode apreciar o prazer superior a baixeza e as misérias humanas.
"A Obra de Deus é perfeita, mas a perfeição é obra de titãs e, 
"Não é caprichosa casualidade que devasta um povo, mas a lei de compensação que se cumpre...Os cruéis conquistadores, os que gozaram destruindo cidades onde se abrigavam vencidos, tem que sofrer a dor que fizeram sofrer a outros, tem que despertar aterrorizados e aturdidos, tem que vagar sobre as fumegantes ruínas de seus lares sem saber porque, em menos de um segundo, perderam tudo é justo, não se conhece a impressão nem o esquecimento, tudo chega a seu tempo, ninguém recolhe um átomo que não lhe pertença, ninguém ocupa mais lugar do que aquele que por justiça lhe corresponde e, por muito que passeis, não vos acabrunhara seu peso porque o Espirito, tem um depósito de forças para resistir a tudo o que por justiça lhe corresponde. Se assim não fosse, Deus seria injusto e a sua justiça alteraria a marcha dos mundos, pois criaria obstáculos que fariam saltar de suas órbitas os imensos mundos que levam em seu seio "Outras Humanidades".

Recebemos o que damos; esta é a lei, não existem subterfugi-os, nem indulgências em nenhuma "Religião", e nem filosofias que alterem a ordem do que esta criado.


 Com a obra Divina tudo é imutável, as minas do infinito sempre tem seus poços abertos para por elas descerem as humanidades e saquearem o metal precioso do progresso e da verdade.

A todos Adeus.

De um irmão espiritual, que deixou seus ensinamentos e um alerta para todos, que trilham o caminho do mundo terreno no seu aprendizado e evolução, todo o ato impensado leva um homem ou uma mulher a subir ou descer, por isso eu Corpo de Luz - Erick,  passo esse aprendizado; Amai a teu Deus da criação, sobre todas as coisas da Terra e do Universo e a teu próximo como a si mesmo, e tomai cuidado com teu livre-arbítrio, pois dele depende sua felicidade ou seu maior tomento no futuro...um grande abraço fraternal a todos meus queridos irmãos de jornada terrena.

Benditas sejam as comunicações com nossos irmãos Espirituais! Elas nos guiam, elas nos alertam, elas nos fazem conhecer a grandeza e a justiça de Deus Pai.

e, se a isto se reduzisse a vida, seria melhor não ter nascido.."Dizes bem, ( me diz um Espirito), se não houvesse outro cenário para representar o eterno drama da vida que a Terra que Habitas, Deus seria a injustiça personificada e o ultimo réptil da terra seria mais feliz que o rei da Criação (vulgo homem e mulher), porque estes esta sujeito a inumeráveis calamidades, começando por enfermidades incuráveis, por moléstias que conduz ao desespero, como as guerras, a paralisia, a falta de membros mais necessário como são os braços, as mãos, as pernas e os pés, a linguá, os ouvidos e os olhos, e o entendimento"

Empregando sua inteligencia e suas paixões, seus vícios e suas virtudes, semeando a semente que melhor lhes pareceu e as circunstancias lhe proporcionaram, pois, muitas vezes, um passo dado em falso faz resvalar e cair".

para aperfeiçor-se, O Espirito necessita da luta incessante dos séculos. Aquilo que chamais de, calamidades, hecatombes, acontecimentos horrorosos, sabeis para que servem? Para sanear a atmosfera de vosso mundo, para livrar a Humanidade de monstros insaciáveis, para separar de vós muitos Cains, dispostos a continuar sacrificando seus irmãos; quando tenhais noticias que desapareceu uma cidade, aniquilada pelo fogo, por terremato ou inundações, não acrediteis que Deus é injusto arrebatando de seus lares tanto o centenário quanto o pequenino dependente do seio de sua mãe..."O envoltório material" não marca o adiantamento do Espirito; é sua história passada, sua inspiração presente, a que manifesta sua inferioridade ou sua elevação".

"Sedes Bons" mineiros, buscai nas montanhas da terra os debeis e os vencidos, dai-lhes o que lhe falta, Luz para a "ALMA E PÃO PARA O CORPO", que os cegos e os esfomeados são os Cains da humanidade.

Essa comunicação Espiritual, a quantas considerações se presta! Quantas verdades! Desconsoladoras verdades, amargas, mas verdades inegáveis, e isto é o que se deve buscar nas comunicações dos Espíritos; "a verdade sem véu", o ensino racional, o conselho leal para inclinar-nos a pratica da virtude, a certeza de que, sem a melhoria individual, os povos nunca serão livres, nem progredirão, nem se engredecerão, nem consiguirão gravar seu nome na história pátria, figurando como heróis, como redentores, como inspirados marinheiros levando as naves a seguro porto.


Corpo de Luz - Erick

Aqueles que gostam de meu trabalho, e querem participar do meu blog, é só sessar o link; http://wwwapenasumcorpodeluz.blogspot.com.br/ .....E fazer parte dessa Família.


domingo, 14 de agosto de 2011

**DE UM IRMÃO QUE PARTIU MAIS CEDO PELO VICIO**

Corpo de Luz - Erick



                                              2º Psicografia


Em uma noite tranqüila e sossegada, um irmão nos brinda com sua visita e relata o seus sofrimentos, e suas incertezas, por negligenciar a sua vida no mundo terreno.

O alcoólatra:

Que outra palavra existira na terra, encerrando consigo tantas potencialidades para o crime?
O alcoólatra não é somente o destruidor de si mesmo...É o perigoso instrumento das trevas, ponte viva para as forças arrasadoras da "Alma" abismal.
O incêndio que provoca desolação aparece numa chispa..O Alcoolismo que carreia a miséria nasce num copinho, ou apenas num aperitivo.
De chispa em chispa, transforma-se o incêndio em chamas devoradoras..De copinho a copinho, o vicio alcança a delinqüência..Hoje em farrapo de alma que foi homem, reconheço que, ontem, a minha tragédia começou assim;
Um aperitivo inocente, antes do almoço e do jantar..
Uma hora de recreio..
Uma noite festiva..

Era eu um homem feliz e trabalhador, vivendo em companhia de meus pais, de minha esposa e um filinho..Uma ocasião, porém, surgiu em que tive a infelicidade de solver alguns goles do veneno terrível, disfarçado em bebida elegante, tentando afugentar pequeninos problemas da vida e, desde de então, converti-me em zona pestilência para os abutres da crueldade.
Velhos amigos desencarnados de nossa equipe familiar fizeram de mim seu intérprete..A breve tempo, abandonei o trabalho, fugi à higiene e apodreci meu caráter, trocando o lar venturoso pelos Bares infelizes.
Bebendo por mim e por todas as entidades viciosas que nos hostilizaram a casa, falsifiquei documentos, matando meu pai com medicação indevida, depois de arroja-lo a extrema ruína.
Mais tarde, tornando-me bestial e inconsciente, espanquei minha mãe, impondo-lhe a enfermidade que a transportou para o sepultura...Depois de algum tempo, constrangi minha esposa ao meretrício, para extorquir-lhe dinheiro, assassinando-a numa noite de horror e fazendo crer que a infeliz se venerará usando as próprias mãos e, e de meu filho, fiz um jovem salteador e beberrão, muito cedo eliminado pela policia.

Réprobo social, colhia tão-somente as aversões que eu plantava, muitas vezes, em relâmpagos de lucidez, admoestava-me a consciência: Ainda é tempo! Recomeça! Recomeça! ...Entretanto, fizera-me um homem vencido e cercado pelas sombras daqueles que, quanto eu, se haviam consagrado no corpo físico a criminalidade e a viciação, e essas sombras rodeavam-me apressadas, gritando-me, gritando-me, irresistíveis:
Bebe e esquece, Bebe, Joaquim...E eu me embriagava, sequioso de olvidar a mim mesmo, até o delírio agudo me sitiou num catre de armadura e indigência...A febre a enfermidade e a loucura consumiram-me a carne, mas não percebi a visitação da morte, porque fui atraído, de roldão, para a turba de delinqüentes a que antes me afeiçoara..Sofri-lhes a pressão, assimilei-lhes os desvarios e, com eles, procurei novamente embebedar-me.
Os Bares era o meu mundo, com a demência, irresponsável por meu modo de ser..ai de mim, contudo! Chegou o instante em que não mais pude engodar minha sede..A insatisfação arrasava-me por dentro, sem que meus lábios conseguissem tocar, de leve, uma gota do líquido tentador.
Deplorando a inexplicável inibição que me agravava os padecimentos, afastei-me dos companheiros para ocultar a desdita de que me via abjeto..Caminhei sem destino, angustiado e se me louco ate que vi prostrado num leito espinhoso de terra seca..Sede implacável dominava-me totalmente..Clamei por socorro em vão, invejando os vermes do subsolo.
Palavra alguma conseguiria relatar a aflição com que implorei do Céu uma gota dágua que sustasse a alucinação de minhas células gustativas...Meu suplicio ultrapassava toda humana expressão...Não passava de uma fogueira circunscrita a mim mesmo.
Começaram, então, para mim, as miragens expiatórias..Via-me em noite fresca e tranqüila, procurando o orvalho que caia do Céu para dessedentar-me enfim, mas, buscando as bagas do celeste elixir, elas não eram, aos meus olhos, senão lagrimas de minha mãe, cuja a voz me atingia, prateando em desconsolo.

não batas, meu filho!.
Não me batas, meu filho..Devolvido a flagelação, via-me sob a chuva renovadora, mas, tentando sorve-lhe o jorro, nele reconhecia o pranto de meu pai, cuja as palavras derradeiras me impunham desalento e vergonha..Filho meu, por que me arruinaste assim? Arrojava-me ao chão, mergulhado meu ser na corrente poluída que o temporal engrossava sempre, na esperança de aliviar a sede terrível, mais na própria lama do enxurro, encontrava somente as lagrimas de minha esposa, de mistura com recriminações dolorosas, sustigando-me a consciência.
Porque me atirastes ao lodo? e por que me mataste, bandido? De novo regressava ao deserto que me acolhia, para logo após me entregar a visão de fontes cristalinas...Enlouquecido de sede, colava a boca ao manancial, que se convertia em taça de fel candente, da qual transbordavam as lagrimas de meu filho, a bradar-me, em desespero....Meu pai, meu pai, que fizeste de mim? Em toda parte, não surpreendia senão lágrimas.
Arrastei-me pelos medonhos caminhos de minha peregrinação dolorosa, como um Espírito amaldiçoado que o vício metamorfoseara em peçonhento réptil..Suspirava por água que me aliviasse o tormento mas só encontrava pranto...Pranto de meu pai, de minha mãe, de minha esposa e de meu filho a perseguir-me, implacavelmente..Alma acicatada por remorsos intraduzíveis, armaguei provações espantosas, até que mãos fraternas me trouxeram a benção da oração.
Piedosos enfermeiros da "Vida Espiritual" e mensageiros da "Bondade Divina", pelos talento da prece, aplacaram-me a sede, ofertando-me água pura..Atenuou-se-me o estranho martírio, embora a conseqüência me acuse..Ainda assim, amparado por aqueles que vos espiram, ofereço-vos o triste exemplo de meu caso particular para esclarecimento daqueles que começam de copinho a copinho, no aperitivo inocente, na hora de recreio ou na noite festiva, descendo desprevenidos para o desequilíbrio e para a morte.

E, em vos falando, com o meu sofrimento transformado em palavras, rogo-vos a esmola dos pensamentos amigos para que eu regresse.


Corpo de Luz

Aqueles que gostam de meu trabalho, e querem participar do meu blog, é só sessar o link; http://wwwapenasumcorpodeluz.blogspot.com.br/ .....E fazer parte dessa Família.

Receba nossas atualizações: